Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

A Poesia Desconhecida

A Poesia Desconhecida

24
Mai17

SEMPRE PERTO E LONGE

Talis Andrade

 

Qualquer parte       

do meu corpo       

atingida por estranhos       

minha mãe       

lavava com água       

gelo e neve       

Minha mãe       

esterilizava com álcool         

 

Livre dos contágios       

meu corpo       

foi ficando       

frio como o gelo       

puro como a neve              

 

Para continuar imune       

passei a não deixar       

fossem tocadas       

as partes íntimas       

do meu corpo         

 

Fui me distanciando       

me distanciando       

e assim ando       

sempre longe       

de quem amo 
 
 
 
 

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D